Quando o Coração Transborda – Breve temporada

 

 

QOCT_Caixa_Internet (1)

Dias 29, 30 e 31 de janeiro acontecerão apresentações do espetáculo “Quando o Coração Transborda”, da Maíra, diretora do Esquadrão. Vai ser no Teatro da Caixa, sexta e sábado às 20h e domingo às 19h. Os ingresso já estão à venda na bilheteria do teatro. Como serão vendidos apenas 80 ingressos por sessão, é legal comprar antes. Maíra fez um longo convite no texto a seguir. Apareçam!

“Então é assim: toda vez que vou me apresentar com o QUANDO O CORAÇÃO TRANSBORDA, me dá vontade de escrever um monte de coisa e colocar no Facebook. Já nem sei mais se é pra chamar gente, se é por vaidade, se é por necessidade. Só sei que escrevo e nem sempre sobre tudo o que quero em relação à peça e ao que sinto quando vou me apresentar com ela. E é tanta coisa que eu quero compartilhar com os outros, é tanta reflexão que tudo parece pouco, tudo parece piegas. Porque quando eu comecei a ter a ideia da peça, ao contrário do que muita gente pensa, não tinha a ver com o meu pai. Esse não era o pensamento principal. Tinha mais a ver com o Esquadrão da Vida e a história dele, que faz (junto com outras coisas, é claro), eu ser quem eu sou.

O Esquadrão da Vida nasceu subversivo. Em 1979, quando saiu pela primeira vez às ruas da capital, recebeu esse nome em contrapelo ao Esquadrão da Morte, que tinha um atuação pesada na época da ditadura. Então você dizer que era do Esquadrão da Vida, já era uma coisa perigosa. Hoje as coisas mudaram um pouco mas a subversão parece estar impregnada em mim. Parece, cada vez mais, que eu quero subverter a lógica alucinante dessa sociedade de consumo, de concursos públicos, de gente querendo silêncio o tempo todo, de gente normal. Quero ser anormal, quero pular carnaval, quero continuar vivendo do que faço, quero poder estar na rua, quero ser louca. E quero igualdade dentro das diferenças porque acho a diferença linda, mas só quando ela é celebrada e não escamoteada, punida. O meu espetáculo nasceu da vontade de subverter. Subverter quem eu sou, subverter esse mundo doido de injustiças, subverter minha relação com o teatro. Questionar. Refletir. Transbordar.

Quando vejo o poder das redes sociais para disseminar as coisas, as boas e as ruins, fico impressionada. Eu mesma circulei pelo Facebook com um vídeo, ao falar na Câmara Legislativa de Brasília um poema que estava entalado na minha garganta. Na semana passada, pulei carnaval na frente de uma placa da 202 Sul de Brasília porque não aguentei a foto de uma pessoa tapando os ouvidos com o dedo, questionando o barulho da cidade, o carnaval, a alegria. E daí um monte de gente vê o vídeos, me elogia, compartilha, fala um monte de coisas… E ao mesmo tempo que isso me deixa alegre e lisonjeada, tem uma outra coisa ali, dentro de mim, que me deixa um pouco sem jeito e meio ansiosa, sei lá. Porque eu sou aquilo mas ao mesmo tempo não sou, tenho um monte de inseguranças, me acho fuleira muitas vezes, sei lá. Mas a peça tem me fortalecido, apesar disso. E talvez isso aconteça pelo carinho e sinceridade que o público tem demonstrado quando me vê e me trata e isso tem se estendido às redes sociais. Eu, uma mini celebridade (celebridade de cú é rola, me desculpem) de Brasília, que tem o dinheiro pra pagar o próximo aluguel mas não tem a mínima ideia de como vai fazer pra pagar os próximos. Eu, que vou pular o carnaval com o Ventoinha de Canudo e tenho ojeriza quando penso que a polícia pode aparecer e reprimir. Eu, que comemoro com toda a força o presente que ganhei da minha prima: um cartão pra eu andar de ônibus com bastante crédito. Eu, que topei fazer essa temporada na Caixa contando só com a bilheteria e que, provavelmente, não vá ganhar quase nada porque tem que pagar os custos da peça. Eu, que convido você a me ver nesse próximo fim de semana no Teatro da Caixa para subverter, comigo, a lógica desse mundo véi doido. É ruim mas é bom. Obrigada por ter lido até aqui. Beijos”

INFORMAÇÕES

Os ingressos começam a ser vendidos no dia 23/01, na bilheteria do Teatro da Caixa. A lotacão máxima é de 80 pessoas por espetáculo.

Data: 29/01/2016 a 31/01/2016
Horário: Sexta-feira e sábado, às 20h; domingo, às 19h
Horário da Bilheteria: Terça a sexta-feira e domingo, das 13h às 21h e sábado, das 9h às 21h. Telefones: (61) 3206-9448 e 3206-9449
Local: Teatro da Caixa
Entrada: Não será permitida a entrada após o início do espetáculo
Valor do Ingresso: R$ 20 e R$ 10 (estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos e doadores de livro).

DSC_5167.jpg

Foto de Ândrea Possamai

Anúncios
Esse post foi publicado em Apresentações, Depoimentos, Depoimentos, relatos e afins. e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s