Foi o Norte… Vem Sudeste!

 

Tenho tanta coisa pra compartilhar… Ao mesmo tempo sei que vai ser difícil compartilhar tudo que vivi e senti na pequena grande temporada do “Quando o coração transborda” pelo norte do Brasil, mais especificamente em Rio Branco, no Acre e em Porto Velho, em Rondônia. Foi tudo muito intenso (acho que essa palavra – intenso – descreve bem tudo o que acontece nas apresentações do “Quando o coração transborda”) e rico, a começar pelas parcerias que se fortaleceram e as que passaram a existir depois da passagem do Esquadrão por esses lugares. É incrível fortalecer e estabelecer parcerias em tempos de tanta descrença… Parece que isso nos fortalece, faz com que a gente não se sinta sozinho, faz com que a gente acredite. Acredite nas pessoas, acredite nas possibilidades. E mais incrível ainda é perceber que essas parcerias se estabelecem através do seu trabalho e da sua relação com ele. No meu caso, o Teatro e o Esquadrão e, mais especificamente, a relação que se estabelece com o público quando estou em cena no “Quando o coração transborda”. É muito lindo! É muito estranho também… E é muito intenso…

Em Rio Branco, senti que fui pra lá pra fortalecer as parcerias. Pra mostrar que é dando a cara à tapa que conseguimos fazer teatro, senão não tem jeito. Se você quer só fama, desculpa, meu amigo, minha amiga, não vá ser ator/atriz. Arranja outra profissão porque, como dizem por aí, o bagulho é louco! A Casa do Macaco Prego da Macaca me recebeu com muito amor e fortaleceu minha parceria com o Écio Cunha, que é meio do Esquadrão e criador do grupo Macaco Prego da Macaca, lá de Rio Branco. Ele fez parte do elenco do Esquadrão da Vida há muitos anos atrás e foi lindo revê-lo e estar junto. Foi emocionante! Nesses encontros e reencontros, a gente confirma o que o Esquadrão significa na nossa vida, uma coisa que é muito difícil de entenderem, porque ele é muito mais que um grupo de teatro, é uma escola de vida. Se você passou pelo Esquadrão, sabe bem do que tô falando. E essa força da peça e do grupo fez com que eu reencontrasse as parceiras do Vivarte, a Dani e a Rita, que mantém um espaço lindo, cheio de vida e de floresta no meio de Rio Branco. Foi muito lindo a gente se rever, fortalecer a nossa Rede Brasileira de Teatro de Rua e poder pensar e sonhar coisas juntos.

Já em Porto Velho, lá no Tapiri, a sede do grupo O Imaginário, foi o lugar de conhecer novos parceiros, de reencontros e de encontros cheios de vida e de amor. Tive a oportunidade de participar do Amazônia Encena na Rua, um festival incrível de teatro de rua, capitaneado pelo Chicão Santos, também articulador da Rede Brasileira de Teatro de Rua. O “Quando o coração transborda” participou da Mostra Tapiri 2017, uma pequena mostra com três monólogos bem diferentes mas que falavam dessa coisa tão importante nesse mundo: a empatia. Esse exercício diário da empatia tem me colocado num lugar questionador e ao mesmo tempo aglutinador. Ver colegas falando disso artisticamente me deu novo fôlego. Conheci novos companheiros, conversei sobre Arte, sobre Teatro, brinquei muito, tive piriri, ri muito… Tudo isso me fortaleceu e, tenho certeza, fortaleceu quem estava lá. E estamos precisando tanto disso, né? Dessa força de grupo, dessa força da fé.

A apresentação do “Quando o coração transborda” em Porto Velho foi tão singela, tão bonita… O que foi compartilhado comigo depois do espetáculo foi tão delicado, tão intenso… Me deu mais certeza, sei lá. Ou me deu mais incertezas? Sei lá de novo… Só sei que sigo em frente e agora vou para o Sudeste, pra São Paulo. E reencontro meus parceiros que admiro tanto, o povo do Pombas Urbanas. Os amigos Adailtom Alves e Selma Pavanelli, que são de SP mas hoje moram em Porto Velho, disseram que ficaram imaginando o meu espetáculo lá no Pombas. Me deu tanta alegria isso! Porque sei que tem tudo a ver. Porque sei que eles me inspiram. Então eu vou pra lá, que é pra eu me fortalecer, que é pra eu me inspirar mais e espalhar toda essa inspiração por aí. Porque os tempos não são fáceis mas eu também não sou nada fácil! Então pode vir quente que eu estou fervendo!!!

 

PS: vai ter mais apresentação em SP, é só acompanhar aqui e no Facebook que logo, logo a gente coloca a programação.

Anúncios
Esse post foi publicado em Apresentações, Depoimentos, Depoimentos, relatos e afins. e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s